quarta-feira, 23 de maio de 2018

Cookies de Unicórnio!

Esta receita é super fácil de fazer. Nós iremos usar uma receita básica, já postada aqui no Leia Antes de Cozinhar, mas você pode usar qualquer receita de “cookie branco”. Aí é só juntar um pouco de açúcar colorido para transformá-los em Cookies de Unicórnio!



Ingredientes



- 01 receita de “Cookies de Açúcar Perfeitos

- Açúcar colorido (04 à 05 cores diferentes – uma embalagem pequena de cada cor basta)

- Gotas de chocolate branco



Para esses cookies, usamos açúcar nas cores laranja, amarelo, rosa, azul e roxo, Mas você pode personalizar seus cookies unicórnio com todas as cores que você desejar. Geralmente, tentamos dar a eles uma vibe do arco-íris que parece se encaixar melhor no tema “unicórnio”.



Preparo


Pré-aqueça o forno a 180ºC e forre uma assadeira grande com papel manteiga.


Despeje os açúcares coloridos em um prato. Você pode colocar todas as cores em apenas um prato, apenas mantenha um pouco separadas.


Prepare a receita de “Cookies de Açúcar Perfeitos”.


Modele as bolinhas usando uma colher de sorvete ou uma colher de sopa.


Mergulhe cada bolinha no açúcar colorido. Você pode passar em apenas uma cor ou girar cada bolinha, passando por todas as cores para ter o efeito de arco-íris!



Coloque as bolinhas na assadeira, espace cerca de dois centímetros cada bolinha para não grudar e asse por 8 a 10 minutos.


Retire do forno e deixe esfriar de 2 à 3 minutos para retirar da forma (para não quebrar) e transferir para uma grande para esfriar completamente.


Depois de completamente frios, coloque uma gota de chocolate branco no centro de cada cookie!    

Read More

Cookies de Açúcar Perfeitos!

Tem coisa melhor que um cookie quentinho e cheirando a baunilha?!
E se eles forem crocante por fora e macio por dentro?!
Pra ficar perfeito, só falta uma xícara de café com leite!

Essa receita de cookie de açúcar é super simples de preparar e é um verdadeiro coringa, porque serve como base para criar outro sabores.



 Ingredientes



- 1 e 1/2 xícaras (chá) de açúcar

- 2 e 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo

- 1/2 colher (chá) de fermento em pó

- 1/2 colher (chá) de sal

- 200gr de manteiga sem sal em temperatura ambiente

- 2 colheres (chá) de essência de baunilha

- 2 ovos grandes

 

Preparo



Pré-aqueça seu forno a 180ºC.


Em uma tigela grande, misture a farinha, o fermento e o sal e reserve.



Na batedeira (com o batedor de raquete, bata a manteiga e o açúcar até obter um creme leve e fofo. Junte os ovos (um de cada vez) sem parar de bater, depois a baunilha e bata até ficar bem homogêneo.


Aos poucos (velocidade baixa), junte a mistura de farinha e bata até misturar tudo. Raspe as laterais da tigela com uma espátula, se for necessário.


Enrole a massa em bolinhas, do tamanho que preferir (eu gosto de enrolar do tamanho de um brigadeiro grande. (Opcional: Depois de modelar as bolinhas, passe-as em açúcar).



Coloque em uma assadeira forrada com papel manteiga e pressione levemente para achatar. Espace os cookies cerca de dois centímetros de distância um do outro para não grudar.


Asse por mais ou menos 10 minutos (quando começar a corar) – eu assei os meus em três lotes.


Deixe esfriar na assadeira por cerca de dois minutos antes de mover para uma grade para esfriar completamente.

 Rendimento: 24 cookies pequenos
 




Read More

terça-feira, 22 de maio de 2018

Bolo Fofo!

Atenção ao tempo que você mistura a massa após a adição dos ingredientes secos: quanto mais tempo você misturar, mais pesado será o seu bolo



Se você misturar muito a massa ao adicionar a farinha, ela pode desenvolver demais a formação de filamentos de glúten, o que deixará o seu bolo pesado e denso. Certifique-se de misturar apenas o necessário (de forma que não haja qualquer vestígio de farinha seca), se você quiser um bolo fofo e fácil de trabalhar. Uma forma de não errar é desligar a batedeira antes de adicionar a farinha e usar um fouet para homogeneizar a massa após a adição da farinha e do fermento.
Read More

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Geleia de Mocotó

A última vez que comi esse doce foi a mais ou menos 12 anos atrás. 
Estava grávida e precisei insistir para que minha mãe fizesse. Acho que esse foi o único "desejo" que tive, ou talvez a gravidez foi a melhor desculpa que consegui para convencer minha mãe a fazer.

Essa não é uma receita fácil, muito pelo contrario, ela é bem trabalhosa. Me lembro que quando minha mãe resolvia fazer, a panela de pressão ficava no fogo a lenha por horas, a família toda se juntava em volta do tacho para bater a geleia e tudo virava uma grande festa. Se tivesse que eleger um sabor para representar a minha infância... seria esse.

É claro que na cozinha de um apartamento pequeno, a receite precisou ser alterada - menos leite, menos açúcar. Mas ela segue a essência da receita original e ficou exatamente como eu me lembrava.

Vale a pena todo o trabalho... isso eu posso garantir!


Ingredientes

- 02 pés de boi (mocotó) limpos e cortados - Mais ou menos 02 kg
- 02 kg de açúcar cristal

- 01 lata de leite condensado
- 02 litros de leite integral

- 02 colheres (chá) de baunilha

Modo de preparo

Em uma panela de pressão, coloque o pé de boi, cubra até dois dedos acima com água e cozinhe até soltar todo o mocotó, isso leva mais ou menos uma hora e meia de pressão. O ideal é que a panela seja grande, para que não vaze quando pegar pressão.

Jogue fora os ossos, leve o mocotó com a água do cozimento ao liquidificador com um pouco de leite e bata bem. Eu dividi em 03 partes para não pesar no liquidificador. 

Coe em uma peneira fina e despeje em uma panela grande. Junte o restante do leite, o açúcar e o leite condensado. Deixe ferver por cerca de uma hora, mexendo sempre para não queimar o fundo, até ficar no ponto de bala (não sabe o que é ponto de bala? Clique aqui). 

Retire a panela do fogo, junte a baunilha e bata a massa na batedeira até engrossar e ficar mais clara, mais ou menos uns 05 minutos. Eu bati em duas partes para não pesar a batedeira. Despeje em duas assadeiras untadas (30 cm de diâmetro) com óleo e espere endurecer para cortar.



Read More

Os diferentes pontos da calda de açúcar e como fazer caramelo

Algumas vezes nos deparamos com uma receita que faz nossos olhos brilharem, mas que parece impossível de fazer, por causa de um detalhe muito simples: A receita fala em "ponto de bala", "ponto de bala mole", "ponto de fio forte"... e aí tudo complica. Que diacho é "ponto de bala"?!

Pronto! Nasce um lombriga de estimação. Desistimos da receita por causa dessa besteirinha e ficamos aguados imaginando como seria aquele bendito doce que pedia calda em "ponto de bala".

Mas todo esse sofrimento vai ficar no passado. Vamos aprender o que é "ponto de bala" e todos os outros pontos de calda de açúcar e ainda descobrir duas formas bem simples de fazer caramelo.

Água e açúcar: uma combinação tão simples, porém, cheia de surpresas






Todo mundo conhece caramelo, certo? Aquela calda deliciosa que vai no pudim, o recheio de bolos e cupcakes, a bala que gruda no dente… Existe algo de mágico no sabor de açúcar "queimado"!

O que é chamado comumente de caramelização é, na verdade, uma reação química, conhecida como reação de Maillard. Basicamente, quando ela ocorre, não só muda o aspecto físico do alimento, como também seu aroma e sabor, intensificando muito mais as diferentes nuances que ali estavam. Para chegar no caramelo, existem vários pontos e formas de fazer isso.

Cada um deles é utilizado de maneira diferente na culinária, além de terem características muito específicas. E, se você tiver um termômetro para doces, isso fica muito mais fácil de acertar!

Método seco


Consiste em derreter o açúcar - e fazer as moléculas de água evaporarem - sem utilizar água. É preciso tomar um pouco mais de cuidado com algumas coisas nesse método, como:
  • Não ficar mexendo o açúcar, senão ele forma "grumos" difíceis de dissolver.
  • Tirar do fogo antes de chegar na cor âmbar (ou guaraná), porque o açúcar continua cozinhando e pode queimar.
  • Colocar sempre o açúcar no centro da panela, evitando que ele fique concentrado nas bordas, que podem queimá-lo.
  • Não adicionar uma grande quantidade de uma vez, que dificulta o processo de caramelização por inteiro.

É o mais indicado para fazer caldas de bolo ou pudim, pois é um caramelo mais denso.

Método úmido



- 1 xícara de açúcar refinado ou granulado
- ½ xícara de água

Preparo calda de caramelo método úmido
  1. Em fogo médio para baixo, direto na forma (ou em uma panela) coloque 1 xícara de açúcar e ½ xícara de água.
  1. Misture.
  1. Deixe, sem mexer que é para não açucarar por 10 minutos ou até a calda caramelizar.
  1. Desligue o fogo, a calda continua a escurecer com o calor da forma.
  1. A dica é desligar 1 minuto antes do ponto desejado ou assim que ela escurecer, para não correr o risco de queimar.
Como conta com uma parte de água e outra de açúcar (em proporções diferentes), é o jeito mais eficiente de atingir diferentes pontos de calda. E lembre-se: uma vez que você levar ao fogo, não mexa mais na panela!

Os pontos da calda de açúcar


Fio fino


É um dos mais rápidos, que se forma logo no início. Ainda é bem líquido e se dissolve facilmente em um copo de água.

Temperatura: 101º C

Uso: caldas, xaropes, marshmallow, papo de anjo e fios de ovos.

Pérola



Um pouquinho depois do fio fino, esse ponto é menos líquido - o açúcar derretido escorre e forma uma bolinha na ponta, por isso o nome. Leva, aproximadamente, cinco minutos para atingir essa textura.

Temperatura: 108º C

Uso: quindins e compotas
Fio forte




Mais encorpado do que o fio fino e pérola, o fio forte faz desenhos quando você pinga na água, demorando mais tempo para dissolver.


Temperatura: 103º C


Uso: geleias e doces em pastas e recheios

Bala mole


Como já diz o próprio nome, é o ponto quando, ao despejar um pouco em um copo de água, ela forma uma bolinha na ponta dos dedos, mas se dissolve logo. Leva, aproximadamente, oito minutos para atingir o ponto.

Temperatura: 113 a 116º C

Uso: para balas, pontos firmes de merengue e rapaduras

Assoprado


É aquele ponto que, usando uma escumadeira, você consegue soprar e o açúcar forma bolhas, como se fossem de sabão.

Temperatura: 115º C

Uso: glacês de frutas e fondants
Espelho


Ou espada, é aquele que quando você deixa escorrer do garfo, pinga como se fossem lâminas.

Temperatura: 117º C

Uso: bombocado, baba de moça e frutas cristalizadas

Bala firme


Ainda forma a bolinha, porém, não vai se dissolver, mesmo sendo maleável.

Temperatura: 118 a 121 ºC

Bala dura


Quem costuma fazer doces caramelizados, reconhece esse ponto: a bolinha formada é mais dura, ainda maleável, mas não se quebra. Ela gruda na colher e as bolhas na panela começam a estourar mais lentamente.

Temperatura: 121 a 129 ºC

Uso: para espelhar balas, como a de coco

Areia



Quase no ponto de chegar no caramelo, ela ainda apresenta uma aparência arenosa, com grãos de açúcar ainda por dissolver.

Temperatura: 141º C
Caramelo


É quando você já está sentindo aquele cheirinho maravilhoso, vendo as bordas do açúcar na panela começarem a dourar - e essa é a hora de tirar dali, senão ele continua cozinhando e pode queimar. Um pouquinho queimada, porém, ainda é deliciosa.

Temperatura: 145º C

Uso: caramelo cremoso, calda toffee, calda de pudim, praliné, barras de caramelo e torrone.
Vidrada


Quando derramar, cuidadosamente, um pouco de água nesse ponto, você ouvirá um barulho similar ao de vidro se quebrando.

Temperatura: 149 a 154º C

Uso: maçã do amor e docinhos banhados

Dica: para fazer a maçã do amor, coloque um pouquinho de vinagre. Isso ajuda a dar brilho!

Fonte: Ana Maria Braga
Read More

terça-feira, 8 de maio de 2018

Calda de Chocolate Mágica! (aquela que endurece no sorvete)

Aproveitando essa onde aqui no blog de sorvete no melhor estilo homemade (veja aqui e aqui), vou repostar a receita dessa calda mágica de chocolate, aquela que endurece no sorvete. Super prática de fazer e fica igualzinha a da sorveteria!




Ingredientes:
- 1 e ½ xícara (chá) de chocolate picado (pode ser ao leite ou meio amargo)
- ½ xícara de (chá) de óleo de coco (meça enquanto ele está sólido = gordura)

Preparo:
Em um recipiente, junte o chocolate picado e o óleo de coco. Leve ao micro-ondas, em potência alta, por aproximadamente 1 minuto (o tempo pode variar de acordo com a potência de seu micro-ondas). Misture até que o calor do óleo de coco termine de derreter o chocolate. O resultado final será uma calda bem líquida. Guarde em um recipiente com tampa. 
Para conservar por mais tempo, você pode guardar na geladeira, é só aquecer no micro-ondas (sem tampa) por 30 segundos antes de servir.



Receita adaptada do site Dinner at the Zoo
Read More

Sorvete de Morango!

Lembram da receita de Sorvete de Oreo? Aquele pra comer rezando???
Então, essa é uma variação de sabor da mesma receita, e vou dizer uma coisa... ficou tão boa quanto!

Se você não viu a receita anterior, clique aqui.

Sorvete de Morango



Ingredientes:
- 500 ml de creme de leite fresco ou nata pasteurizada
- 1 lata de leite condensado
- 150gr de cream cheese (1 embalagem pequena)
- 01 embalagem de morangos frescos
- 1/2 xícara de açúcar refinado ou cristal
- 01 colher (sopa) de suco de limão
- 01 pitada de sal
- 01 colher (café) de pasta saborizante de morango (eu uso a Blend)

Preparo:
Prepare uma geleia com os morangos e o açúcar. Lave bem os morangos e corte em pedaços grandes. Leve em fogo baixo com o açúcar e deixe apurar mexendo sempre. O morango vai soltar bastante água e a geleia vai estar pronta quando a calda começar a engrossar, mais ou menos uns 8 à 10 minutos depois de iniciar fervura. Retire do fogo, misture o suco de limão e deixe esfriar. Bata no liquidificador até ficar bem homogêneo e reserve.

Bata na batedeira por uns 3 minutos  o cream cheese e o leite condensado e reserve. 

Bata o creme de leite/nata, com uma pitada de sal e a pasta saborizante, na batedeira em velocidade máxima até o ponto de chantilly (cuidado para não bater demais e virar manteiga).

Misture delicadamente ao chantilly batido a mistura de cream cheese e leite condensado. Adicione a geleia de morangos batida e misture novamente. Coloque em um pote e leve ao congelador por mais ou menos 4 horas ou até ficar bem firme.

Rende mais ou menos 2 litros de sorvete.

Obs: Na primeira vez que testei esse sabor eu não bati a geleia no liquidificador, usei ela com pedaços grades de morango. Ficou gostoso, mas deu um trabalhão para retirar do pote, porque os morangos, por conter água, acabam congelando demais. Por isso acho que fica muito melhor com a geleia batida.
A pasta saborizante é opcional, mas é ela que deixa o sorvete com essa cor linda e com um cheirinho de morango delicioso. 



Read More

© 2011 Leia antes de cozinhar, AllRightsReserved | Designed by ScreenWritersArena

Distributed by: Leia Antes de Cozinhar